tecnologia no campo: como ela facilita a vida dos agricultores e as mais utilizadas

Tecnologia no campo: como ela facilita a vida dos agricultores e as mais utilizadas

26 / dez / 2019 | Deixe seu comentário

Eficiência: essa é a principal palavra-chave de todo agricultor moderno. O foco do profissional está sempre em otimizar o processo de produção, buscando o aumento da produtividade e a redução dos custos. Com o passar do tempo, cada vez mais surgem novas tecnologias que auxiliam os produtores a atingir seus objetivos de maneira mais rápida e fácil. Hoje, com o avanço da cultura digital e o amplo acesso à internet, o uso da tecnologia no campo é bem visto, trazendo muitos benefícios.’

E é sobre isso que vamos falar neste artigo: a evolução tecnológica no campo até os dispositivos móveis atuais, qual a sua importância e o que é agricultura de precisão. Para saber também quais as principais tecnologias utilizadas atualmente, leia até o final!

A evolução da tecnologia no campo

Uma verdade que se sabe há muitos e muitos anos é o fato de que a população mundial está em constante crescimento. Com a estimativa de atingirmos aproximadamente 10 bilhões de pessoas nas próximas três décadas, naturalmente a demanda por consumo alimentício também aumenta.

Quando se plantava em menor escala e os objetivos eram apenas mais locais, sem uma atuação tão marcante da globalização, as preocupações eram outras. Não havia nem metade das variáveis que agora podem atingir cada etapa do processo produtivo.

Isso porque a necessidade de produzir alimentos para toda a população não vem sozinha: preocupa-se também com a qualidade desses produtos, a frequência das colheitas, a influência das mudanças climáticas mundialmente, entre diversos outros fatores. 

Portanto, multiplique o aumento das variáveis com a expansão das áreas de cultivo e imagine o tanto de responsabilidade que cada produtor passou a ter. Em comparação com o processo de produção das décadas anteriores, fica óbvia a necessidade por algo que auxiliasse na administração, ainda mais quando somado à urgência da demanda.

Como a evolução da tecnologia aconteceu paralelamente a tudo isso e estava sendo aplicada nas mais diversas áreas, o setor agrícola não poderia ter ficado de fora. A demanda existe até os dias de hoje, com estudos contínuos para seguir avançando no desenvolvimento tecnológico e de novas aplicações na agricultura.

O mais recente pilar da evolução da tecnologia no campo surgiu dos próprios consumidores. A procura por alimentos saudáveis sempre existiu, mas atualmente a exigência é de que o cultivo também reflita a ideologia desse padrão de consumo, com uma produção sustentável.

Essa sustentabilidade pode ser implementada com a redução do uso indiscriminado de defensivos químicos e o uso consciente da água, por exemplo. Essas medidas são realizadas através de alta coleta e interpretação de dados das lavouras, conceitos da agricultura de precisão. Mas você sabe que tipo de agricultura é essa? Continue lendo!

O que é agricultura de precisão?

Vimos como as ferramentas digitais auxiliam (e muito!) a planejar o plantio, gerenciar atividades, calcular custos de produção e a realizar outras tarefas cotidianas. Essa ajuda proporcionada pelas novas tecnologias através dos dispositivos móveis simplifica a administração da propriedade e reduz gastos, resultando em uma maior rentabilidade.

A agricultura de precisão, também chamada de agricultura 4.0, é justamente aquela que faz uso dessas ferramentas digitais em dispositivos móveis e de outras tecnologias, incorporando-as no processo de produção agrícola de modo intrínseco. Se os objetivos são ter os melhores resultados e estar à frente dos demais concorrentes, implementar a agricultura de precisão é indispensável para atingi-los.

A estimativa é de que 67% das propriedades agrícolas já utilizam algum tipo de tecnologia. Para saber mais sobre a agricultura digital, clique aqui e leia nosso post completo com todos os benefícios da inserção desse método na sua propriedade!

Também é importante ter em mente que os avanços são constantes e, por mais úteis que alguns métodos sejam, eles podem se tornar obsoletos após algum tempo. Como as inovações e modificações não param, é muito importante conseguir se manter atualizado com as novidades tecnológicas a todo momento. Assim, as técnicas implantadas serão sempre as mais eficientes.

E as descobertas científicas não são o único motivo para essas mudanças constantes: agentes nocivos também sofrem adaptações naturais de acordo com os métodos combativos utilizados. Já falamos disso em outro artigo, sobre ervas daninhas e os cuidados que deve-se ter com o uso de herbicidas, por exemplo. Por isso que as pesquisas nunca param e os avanços da tecnologia no campo parecem tão intensos.

O uso de dispositivos móveis

A história da agricultura é milenar. Muito aconteceu até chegarmos no porte gigantesco que tem a indústria agrícola mundial de hoje, sendo todo o caminho traçado pelo avanço tecnológico e impulsionado por dados.

Atualmente, um produtor rural ou alguém relacionado ao setor agricultor pode gerenciar plantações de inúmeros hectares com uma facilidade incomparável, direto de seu computador ou até mesmo de seu celular. Por causa da internet sem fio, dispositivos móveis como smartphones expandiram não somente o acesso à informação, mas a capacidade de automatizar processos sem muita burocracia.

Antes, o obstáculo inicial era principalmente financeiro, já que a instalação e compra de equipamentos novos era necessária. Ainda há essa demanda em alguns casos, mas, em outras situações, um simples update de um sistema operacional consegue atualizar o processo para que se desfrute da tecnologia de ponta disponível.

É um sistema interdependente com muitos benefícios: a difusão de tecnologias móveis no campo traz facilidade de gerenciamento e interpretação de dados, otimiza o processo produtivo, aumenta a produtividade e reduz o mal uso de insumos, que por sua vez preserva o ecossistema. Se, em um futuro próximo, estima-se que 40% da área do planeta seja voltada para o cultivo agrícola, nada mais justo que a produção esteja de acordo com um desenvolvimento sustentável.

Quais são as novas tecnologias no campo?

Confira a seguir uma lista detalhada com as tecnologias mais usadas atualmente nas lavouras, das mais estabelecidas até algumas ferramentas mais recentes no mercado, mas que já são favoritas dos produtores rurais.

Big Data e 4G

O Big Data é o termo que descreve um grande volume de dados armazenados em um local comum. Bastante utilizada nas fazendas, é possível obter um resumo de todas as informações coletadas sobre a lavoura, tê-las analisadas mais rapidamente e compartilhar o material entre os funcionários sem complicações.

Esse estudo dinâmico dos dados salva tempo do processo produtivo sem perder a precisão dos resultados, além de auxiliar na tomada de decisões na hora da formulação das estratégias de manejo do plantio.

Vale notar que, com o advento da internet 4G, a aplicação do Big Data ampliou, podendo ser feita pelos dispositivos móveis já mencionados, em qualquer lugar que o produtor e os funcionários estejam. Isso impulsionou muito o monitoramento à distância de máquinas, por exemplo, dentre outras funcionalidades.

GPS

O Sistema de Posicionamento Global (Global Position System) foi o ponto de partida da agricultura de precisão. Os métodos para se realizar mapas de produtividade mudaram muito desde quando essa tecnologia ficou disponível para os fazendeiros. Com o uso do GPS, além do mapeamento da plantação, é possível executar amostragens virtuais do solo e monitorar e inspecionar processos agrícolas.

Geralmente, o sistema de GPS está acoplado aos tratores, servindo de guia para o maquinário. Dessa forma, realiza-se a plantação das sementes, a aplicação de pesticidas e o processo de colheita da safra. Ele permite uma dinamização do trabalho e o aumento da precisão das atividades.

Drones

Ainda sobre monitoramento remoto, podemos mencionar os drones. Uma tecnologia bem recente, os também chamados VANTs (Veículos Aéreos não Tripulados) são ferramentas de alto potencial por permitirem uma supervisão aérea das atividades da colheita em tempo real. Nesse sentido, também são mais acessíveis do que os satélites.

Drones são capazes de carregar câmeras de alta resolução e os mais diversos sensores, o que multiplica suas possibilidades de aplicação, podendo até mesmo ser usados para pulverização. Com o uso do drone, pode-se detectar pragas e doenças, localizar deficiências nutricionais e controlar a distribuição de insumos, reduzindo perdas de produtos e dinheiro.

Sensores

Os sensores são capazes de monitorar as plantas detalhadamente, analisando a saúde do cultivo, se há doenças e infecções, identificar o nível de nitrogênio no solo e a demanda por água. São grandes facilitadores do trabalho do agricultor, emitindo relatórios precisos e rápidos e solucionando problemas ao redirecionar recursos.

Plataformas digitais e Aplicativos

Nesse caso, o interesse do profissional conta muito. Para encontrar novos recursos, basta uma busca simples no notebook ou no celular: existem incontáveis softwares disponíveis na internet voltados para o gerenciamento agrícola. Desde uma plataforma online que serve para a divisão de tarefas entre a equipe, até um aplicativo que reúna todos os dados dos sensores em apenas um lugar.


As tecnologias no campo disponíveis atualmente são realmente muitas. A escolha entre quais implementar vai depender apenas dos objetivos que se deseja alcançar, pois os benefícios com a utilização delas são inegáveis.

Com os constantes avanços tecnológicos, o mais importante é continuar aprendendo, tendo a capacidade de se adaptar a novas tecnologias e se manter atualizado, acompanhando as mudanças e sendo receptivo às inovações do mercado.

A AgroAcademy existe justamente para ajudar com isso! Disponibilizamos cursos detalhados que ensinam a utilizar as novas tecnologias, valorizando o currículo profissional do produtor rural. Crie agora sua conta gratuita e confira!

Rodrigo Loncarovich é CEO da Agro Academy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *