conheça as principais pragas agrícolas que podem ameaçar a lavoura

Conheça as principais pragas agrícolas que podem ameaçar a lavoura

8 / jan / 2020 | Deixe seu comentário

As pragas agrícolas podem ocorrer a qualquer momento do ano. Por isso, para se prevenir contra possíveis consequências, muitas vezes irrecuperáveis, nada melhor do que cercar-se de informações a respeito dessas ameaças que constantemente e renovadamente pairam sobre as lavouras.

Neste artigo, selecionamos as principais pragas que devem ser motivo de preocupação para o produtor rural. Acompanhe o texto e saiba como se preparar para enfrentar tais inimigos!

Em que momento deve-se preocupar com as pragas agrícolas?

O manejo adequado de pragas não pode, de forma alguma, ser colocado em prática apenas após o plantio. Dessa, forma, além de administrar sua cultura por meio da pulverização correta, o produtor tem de ficar atento à entressafra.

Por ser o período mais suscetível ao ataque de pragas agrícolas, a entressafra requer cuidados especiais com o controle de plantas daninhas, a fim de evitar uma multiplicação capaz de comprometer a cultura que irá se desenvolver.

Nesse sentido, o melhor procedimento, com efeito, é a adoção do Manejo Integrado de Pragas (MIP), cujos princípios básicos são:

  • avaliação do ecossistema;
  • monitoramento;
  • nível de dano econômico (NDE);
  • controle cultural;
  • controle biológico;
  • uso de plantas resistentes;
  • métodos legislativos;
  • controle físico;
  • método genético;
  • controle químico;
  • controle por comportamento;
  • feromônios e atraentes;
  • armadilhas atraentes.

Assim, vamos agora conhecer os principais vilões presentes nas lavouras do Brasil em culturas como soja, algodão, milho e café e outras.

Quais as principais pragas agrícolas?

Lagarta-do-cartucho do milho (Spodoptera frugiperda)

É uma das espécies que pertencem ao gênero Spodoptera spp. A lagarta-do-cartucho, especificamente, ocorre nas lavouras de algodão, milho e soja.

É uma praga que é capaz de se se alimentar de várias plantas, ou seja, é uma polífaga, além de ter como característica o canibalismo.

No milho, podem atracar tanto as folhas quanto as espigas; no algodão e na soja podem atacar a base da planta recém formada.  Já no algodão, atacam também suas estruturas reprodutivas.

Percevejo marrom (Euschistus heros)

Comprometem os tecidos das sementes ou grãos. Fazem uma sucção aguda da seiva, tendo como consequência vagens murchas e retenção foliar.

Possui um ciclo biológico, do ovo à fase adulta, de aproximadamente 29 dias. A espécie adulta tem uma longevidade de 116 dias, em média.

Mosca branca (Bemisia tabaci)

É uma praga difícil de ser controlada porque possui, inclusive, resistência genética a produtos químicos. A mosca branca, assim como a lagarta-do-cartucho, é polífaga.

Ataca diversas culturas, localizando-se, de preferência, na face inferior das folhas. Tem como característica deixar nas folhas uma substância açucarada e pegajosa, conhecida como honeydew.

Além disso, é uma praga que transmite vírus, o que potencializa a ocorrência de prejuízos na produtividade.

Ferrugem da soja (Phakopsora pachyrhizie)

É um fungo que desfolha precocemente as plantas de soja, impossibilitando a formação completa dos grãos. Notam-se os sintomas por meio de pequenas verrugas na parte inferior da folha e de pequenos pontos escuros na superfície superior.

Ademais, tem o agravante de espalhar-se pelo ar, causando mais danos.

Bicudo do algodoeiro (Anthonomus grandis)

Tida como a principal praga de algodão do país, ela pode ser, certamente, catastrófica para uma lavoura. O bicudo costuma se alimentar dos botões florais do algodoeiro, passando pelas flores e maçãs, onde as fêmeas depositam seus ovos. As larvas desenvolvem-se, assim, dentro dessas estruturas reprodutivas, causando a destruição das fibras e das sementes.

Mofo branco (Sclerotinia scleotioum)

Conhecido também como Podridão Branca, ataca diversos tipos de cultura. Embora atue principalmente nas sementes, é capaz de se instalar no solo por longos períodos quando não há hospedeiro.

O fungo causa danos nos tecidos da parte superior da planta, formando o chamado micélio, uma substância branca que lembra o algodão. Em seguida, escurece e fica rígida, fase conhecida como escleródio. O escleródio, ao cair no solo, torna-se vetor para a próxima cultura.

Broca do café (Hypothenemus hampei)

Causa a destruição total ou parcial da parte interna dos grãos. Depositam seus ovos nos caroços do qual se alimentam e atacam em diversos estágios do fruto. De tal forma que, uma vez penetrada a broca no grão, o controle da praga passa a ser inviável.

Ácaros

Há diversas espécies de ácaros que são pragas agrícolas. Eles são minúsculos aracnídeos que se desenvolvem na parte inferior da folha, causando rugas, amarelecimento e morte dos brotos. São muito conhecidos nas lavouras de soja e em pomares de uva, por exemplo.

Cigarrinha do milho (Dalbulus maidis)

Pragas muito presente na lavoura do milho, tem como uma de suas características a rapidez de movimento. Transmitem doenças como o raiado fino e o enfezamento pálido e vermelho.

As plantas definham e desenvolvem entrenós encurtados. A cigarrinha do milho, tal como a mosca branca, produz o honeydew.

Mosca-das-frutas (e do Caribe)

Atacam as culturas de citros, com os machos aglomerando-se nas folhas e as fêmeas depositando ovos nos frutos. As larvas, quando se desenvolvem por completo, saem do fruto e ficam no solo.

Helicoverpa spp.

Existem duas espécies bastante comuns nas lavoura: a Helicoverpa zea e a Helicoverpa armigera, esta, adaptada à soja e ao algodão e aquela adaptada ao milho.

A lagarta ataca começando pela parte aérea, flores, frutos, folhas e vagem e depois passa a se localizar na parte mediana para baixo.

Percevejo barriga-verde (Dichelops spp.)

Há duas espécies principais, o Dichelops melacanthus e o Dichelops farcatus, que são motivo de preocupação sobretudo nas culturas de milho.

Ele penetra na região do colo e injeta toxinas. As plantas formam furos com halos amarelados ao redor dos furos e apresentam enrolamento anormal dos cartuchos. As perfurações ficam dispostas de forma transversal nas folhas que, em alguns casos, chegam a morrer.

Cochonilhas (Dactylopius coccus)

Têm a característica de serem pequenos ajuntamentos brancos, similares ao algodão. Atacam caules, ramos, folhas e brotos das hortas e, se ameaçadas, produzem uma substância conhecida como ácido carmínico, aproveitado como corante pela indústria de alimentos.

As pragas agrícolas, de fato, são uma das grandes preocupações de todo produtor rural. Quer saber mais sobre a prevenção por meio do manejo adequado do solo e da pulverização feita de forma correta? Visite o site e conheça os cursos da Agro Academy!

Rodrigo Loncarovich é CEO da Agro Academy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *