5 dicas para o sucesso na gestão de fazendas

5 dicas para o sucesso na gestão de fazendas

10 / dez / 2019 | Deixe seu comentário

Ser gestor nos dias de hoje é uma tarefa que não exige pouco. A evolução do mercado do agronegócio promoveu a necessidade de transição daquele produtor tradicional para o empresário rural, dotado de competências e habilidades que estejam afinadas com todo o conceito moderno de gestão de fazendas.

O antigo perfil de “tocador”, associado a certa orientação personalista, intuitiva e improvisada do negócio cedeu espaço para o gestor de visão ampla, com conhecimento administrativo, operacional, financeiro e estratégico.

Portanto, independentemente do tamanho de sua propriedade (e o Brasil, em dados oficiais, possui mais de 5 milhões de estabelecimentos), o produtor precisa se reinventar se quiser acompanhar o trilho dos avanços da agropecuária. Por isso, no post de hoje oferecemos 5 dicas que vão orientá-lo nessa caminhada. Vamos juntos!

  1. Seja um líder

Antes de tudo, o gestor precisa entender que ele, fundamentalmente, é um gestor de pessoas. Logo, deve ser capaz de conduzir um ambiente de trabalho conquistando o engajamento e a motivação de seus funcionários.

Um líder que respeita boas práticas, leva em consideração a importância de cada membro da equipe, valoriza trabalhos bem realizados, transmite confiança e oferece condições para o aperfeiçoamento tanto individual quanto coletivo.

Nesse tópico, ademais, deve-se considerar o investimento no treinamentos da equipe, seja com o objetivo de alinhar todos ao projeto, seja com o intuito de garantir o aprimoramento da qualidade da mão de obra, atualizando-a às tecnologias de precisão.

Os treinamentos são determinantes para a consciência de pertencimento a um projeto em comum. Um empreendimento bem-sucedido se constrói com todos verdadeiramente se sentindo como parte do negócio.

  1. Conheça o negócio

Fazer a gestão de fazendas significa administrar empresas rurais. Desse modo, é preciso adquirir conhecimentos que vão além da atividade meramente operacional, e passar a dominar de maneira aprofundada todas as partes do processo, incluindo o controle de números, a análise do impacto e rentabilidade das operações, o cruzamento de informações e as decisões estratégicas voltadas para o mercado.

Uma empresa rural tem de prezar pela profissionalização e, assim, as decisões precisam ser tomadas com base em indicadores. Uma regra primordial para o gestor consiste em estabelecer metas muito claras: a partir do entendimento do nível atual traçam-se estratégias visando objetivos claramente definidos.

Com as metas bem estabelecidas, o passo seguinte é definir os planos de ação e a função específica que cada membro da equipe vai desempenhar no intento. E tudo isso meticulosamente medido pela administração financeira da propriedade.

  1. Controle as finanças

Esse é um princípio básico de qualquer gerenciamento em qualquer segmento. Assim, os números tem de ser rigorosamente acompanhados para que se tenha a dimensão exata dos indicativos de custos de produção da propriedade.

No Brasil, existem muitos estabelecimentos de pequeno, médio e até mesmo de grande porte que ainda seguem modelos de gestão financeira ultrapassados. Tal perfil está com os dias contados.

Na gestão moderna, é necessário produzir relatórios atualizados com gastos e custos da produção. O foco sempre deve estar na otimização do lucro, na diminuição dos desperdícios e no planejamento de possíveis reservas e investimentos.

Hoje, você pode contar com o auxílio de softwares que certamente facilitam bastante o registro de dados para o controle financeiro. São ferramentas que disponibilizam as informações de forma organizada e possibilitam fácil acesso, por exemplo, às contas a pagar e a receber e ao fluxo de caixa da fazenda.

  1. Utilize a tecnologia

Os recursos tecnológicos que estão à disposição são elementos muitas vezes decisivos para o sucesso na gestão de fazendas. Obviamente que, antes de tudo, deve-se fazer o manejo correto, levando em conta uma série de fatores para o uso dos equipamentos adequados à especificidade de cada propriedade, como por exemplo as dimensões, o tipo de cultura, o relevo.

De qualquer forma, não há outro caminho para um gerenciamento exato, racional e seguro que não passe pelo auxílio de softwares, máquinas, equipamentos e implementos de alta precisão.

Os benefícios da agricultura digital se fazem sentir na operacionalização da produção, aplicada no processo de semeadura, adubação, pulverização e colheita, mas são determinantes sobretudo nas tecnologias de monitoramento, rastreamento, mapeamento e processamento de dados.

Como resultado, possibilitam uma análise voltada para a redução de gastos, a otimização e o planejamento.

  1. Entenda o mercado

Conhecer o negócio em todos os seus aspectos implica, finalmente, em estar antenado com as tendências do mercado.

Em outras palavras, é importante que o gestor procure compreender o comportamento de seu público-alvo (ou de suas personas, numa terminologia mais adequada) pois é a partir daí que se se realiza toda a estratégia de vendas. Isso mesmo: a gestão de fazendas ideal tem, sim, que trabalhar em conformidade com o marketing.

Por outro lado, a ideia de mercado também diz respeito às inovações tecnológicas que podem reverberar no processo produtivo e na necessidade de capacitação de pessoas. Em suma, uma gestão que não dá a devida importância ao perfil de seus consumidores, fatalmente poderá sofrer consequências negativas a médio e longo prazos. Por isso, empresário rural: esteja conectado!

Pois bem. A Agro Academy está aqui em missão pelo agronegócio. Conheça melhor nossos serviços e saiba de que forma podemos ajudá-lo!

Rodrigo Loncarovich é CEO da Agro Academy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *